Cátedra Carlos de Oliveira

Romanisches Seminar - Universität Zürich

Mariana Pinto dos Santos

Metamorfoses do neorrealismo – Uma Abelha na Chuva de Carlos de Oliveira através das pinturas de Júlio Pomar

Júlio Pomar e Carlos de Oliveira partilharam as páginas da revista Vértice entre 1946 e 1953 com textos interventivos que se contam entre os que moldaram e afirmaram o neorrealismo em Portugal. Em 1948, um retrato de Carlos de Oliveira por Júlio Pomar foi publicado no seu livro de poemas Colheita Perdida (ed. de autor, 1948). 

Mais tarde, em 1975, Júlio Pomar fez seis pinturas para ilustrar uma edição especial de Uma Abelha na Chuva (Ed. Limiar, Porto, 1976).  A abordagem de Júlio Pomar do romance de Carlos de Oliveira de 1953 nas pinturas a acrílico sobre papel é de um forte grafismo Pop, provocando um choque que podemos considerar transformativo da leitura do próprio texto. A partir dessas pinturas, proponho abordar brevemente o percurso pictórico de Pomar e o literário de Carlos de Oliveira, procurando mostrar como as metamorfoses do neorrealismo ocorridas na pintura de um e na escrita de outro deixam entrever que a prática da teoria estética de matriz neorrealista foi híbrida, múltipla, mutável e derivativa. Serão também abordados, em contraste, os desenhos que o próprio Carlos de Oliveira fez e que a edição póstuma da Assírio & Alvim adoptou para as capas dos volumes da sua obra literária.

Mariana Pinto dos Santos, historiadora da arte e curadora independente, é doutorada em História e Teoria pela Facultat de Belles Arts – Universitat de Barcelona. É investigadora integrada do Instituto de História da Arte, NOVA FCSH, onde coordena o Grupo Teoria da Arte, Historiografia e Crítica. É autora do livro Vanguarda & Outras Loas. Percurso teórico de Ernesto de Sousa (Lisboa: Assírio & Alvim, 2007; 2ª ed. no prelo) e de diversos estudos e ensaios publicados em catálogos, livros e revistas internacionais, sobre história da arte contemporânea, modernidade e modernismos, teoria e historiografia da arte. Coordenou a edição de vários números de revistas, livros e catálogos. É co-editora da Obra Literária de Almada Negreiros. Foi curadora, entre outras, das exposições José de Almada Negreiros: uma maneira de ser moderno (Fundação Calouste Gulbenkian, 2017) e, mais recentemente, Os Livros de Júlio Pomar: itinerância da leitura, escrita, pintura (Atelier-Museu Júlio Pomar, 2021). É co-responsável pelo projecto de investigação Iberian Modernisms and the Primitivist Imaginary ((2018-22) (PTDC/ART-HIS/29837/2017). É editora nas Edições do Saguão.

CV completo: https://www.cienciavitae.pt/portal/en/071F-8344-EFEE

Weiter Beitrag

Zurück Beitrag

Antworten

© 2021 Cátedra Carlos de Oliveira

Thema von Anders Norén